Treinamento da Metodologia Vivendo

Nossa empresa desenvolveu ao longo desses quase 10 anos de atuação o seu “jeito” e esse jeito se transformou em cultura. E para continuar crescendo e entregando resultados com a mesma qualidade que fizemos até agora, estamos VIVENDO um processo de multiplicar conhecimentos e disseminar a Cultura e Metodologia VIVENDO de desenvolver pessoas e equipes.

Há algum tempo temos esse desejo de habilitar mais pessoas para que, assim como nós, possam auxiliar no desenvolvimento humano e de empresas usando como meio para isso a metodologia experiencial.

“Uma gratidão enorme em ter momentos de aprendizados. Os encontros estão sendo muito válidos para o aprofundamento da metodologia vivencial. Sem dúvida, as atividades utilizadas servirão para construção do trabalho com mais confiança e destreza. Gostaria de exaltar a disponibilidade da Vivendo em partilhar conhecimento, cujo cenário externo o individualismo impera.”
Patricia Lapa – Facilitadora e Psicóloga – Vivendo

Foi com esse propósito que, durante os meses de junho e julho nos reunimos com um grupo muito especial, onde em três encontros buscamos qualificar primeiramente o indivíduo para que com conhecimento e prática adquiridos ele pudesse agregar ainda mais a nossa equipe e nossos clientes.

Para criarmos algo tão ambicioso, buscamos ouvir a todos e definimos quais seriam os objetivos, bem como os resultados esperados. Foi um trabalho minucioso que fez surgir o seguinte cronograma:

  • Primeiro Encontro: Conhecimento e aplicação de jogos, dinâmicas e atividades de grupo;
  • Segundo Encontro: Planejamento e condução de programas de treinamento experiencial ao ar livre;
  • Terceiro Encontro: Técnicas de reflexão e processamento – Construção de resultados e devolutivas.

Todos os encontros foram realizados na nossa Sede, a Fazenda Sonho Meu em Canela, e construídos a muitas mãos. Como acreditamos que deve ser.

Confira abaixo o depoimento de quem participou dessa jornada de descobertas.

Temos a sorte de ter amigos/parceiros tão inquietos ou que levem tão à risca o ditado: “Temos que confortar os aflitos e afligir os confortados”, tanta humildade para compartilhar conhecimentos,  sonhos, aflições… Admiro, respeito e acredito nos resultados da metodologia aplicada pela Vivendo. Os encontros dos parceiros é um momento que eu valorizo muito, toda troca de conhecimento,   novas oportunidades e estreitamento da confiança, são só algumas coisas que encontro nestes dias incríveis, me sinto muito honrada em ser parceira de vocês.”
Teriana G. Selbach –  Facilitadora Experiencial – Raft Park

“A iniciativa de proporcionar esse treinamento foi maravilhosa. Embora eu já trabalhe com vocês, e venho me desenvolvendo dentro da metodologia, ter a oportunidade de um treinamento Vivendo, com conteúdo, método e exercícios, tem ajudado a sanar dúvidas, ampliar meu conhecimento da técnica de facilitação e das ferramentas.
Além do conhecimento, os encontros têm proporcionado conhecer e criar vínculo com outros profissionais, tem gerado troca de experiências que agregam e fortalecem o grupo.
O que tenho a expressar neste momento é GRATIDÃO por cada aprendizado! Tudo tem sido válido e dentro das minhas expectativas!”

Jaqueline Fouchy – Facilitadora e Psicóloga – Vivendo

“Percebi que hoje aproveitamos apenas 15% da metodologia, sendo que o ideal é 85%. Em vez de usar 100% para o treinamento devemos dividir em 3 partes: 25% diagnóstico, 25% treinamento e 50% na devolutiva.     Esses dados fazem com que eu perceba    que terei que mudar todo o meu processo de facilitação, para que seja mais efetivo. Porém, seguindo as competências do CHA, acredito que evoluirei muito nessa área.     Outro dado que me surpreende sempre é a forma como aprendemos, daí percebi a importância de reestruturar a metodologia de ensino. E isso me faz pensar no ciclo infinito: A metodologia é parte de uma experiência, a partir dela fazemos uma reflexão, então comparamos traços com o dia-a-dia e por último a aplicação, que busca mudanças de comportamento. Estou aprendendo muito, um dos assuntos é sobre as diversas formas de se passar conhecimento, sendo a facilitação, treinamento, mentoria ou outros. Não tem certo ou errado, apenas o mais eficaz para cada objetivo proposto. Lembrando que 10% do aprendizado vem do facilitador, 20% do indivíduo e 70% do que é vivido no dia. As reuniões também me ajudaram a entender o que é facilitação, o papel do facilitador e sobre a arte e ciência da facilitação. Além desses aprendizados também tive meu primeiro contato com programas de facilitação sem o uso de dinâmicas, que quebrou paradigmas e me fez querer saber mais sobre esse novo mundo que até então nem sabia que podia existir. Portanto, posso afirmar que a minha caixa de ferramentas saí mais pesada a cada reunião. Além de que a troca de experiência com os colegas é enriquecedor. “
Thalita G. Selbach –  Facilitadora Experiencial –  Raft Park


Deixe uma resposta