O profissional “T”

Artigo escrito por Giani Bueno, psicóloga


Tanto se fala no profissional do futuro, mas você sabe por quê? Por que o mundo está mudando! O modo como nos desenvolvemos, estudamos, buscamos por conhecimentos e aprendizados também, e muito rapidamente.

As profissões vem passando por uma dinâmica como a da dança das cadeiras, em que em algum momento uma atividade ou setor é substituído ou exterminado, conforme as mudanças da atualidade pós pandemia.

Em outro artigo que escrevi, te fiz pensar se você ficaria parado ou se movimentaria para acompanhar as mudanças, lembra? Acesse clicando aqui.

E pelo que estou percebendo, muitos profissionais estão acompanhando bem, se movimentando e se adaptando a esse novo normal. Mas será que entendemos tudo o que esse profissional da nova normalidade deve dar conta ?
Se considerarmos a carreira “x” e a carreira “y” como maneiras de definir a trajetória profissional, afirmo que estamos na era em que o profissional deve ser um Profissional “T”. Mas como assim ?

O profissional “T” é aquele profissional generalista, mas especialista também. Agora complicou, né?! Vou explicar melhor. Com tantas e novas habilidades que precisamos dar conta em nossa bagagem profissional, não podemos ser apenas especialistas, também precisamos ter noções abrangentes, afinal a vida não esta passando, ela esta correndo e muitas coisas estão acontecendo simultaneamente.

O profissional “T” é visto assim ao considerarmos que o traço superior seriam as habilidades que ele precisa ter noção, como habilidades digitais, noções de marketing, Branding, liderança, empatia comunicação assertiva, vendas (sim, pois todos nós nos vendemos, quer dizer, vendemos nossos serviços, nossa marca profissional), conhecimentos de informática, ferramentas ágeis, plataformas de otimização, estratégias de posicionamento, trabalho em equipe para somar a ela. Enfim, necessitamos ter muitas noções e capacidades. É, há alguns anos atrás a vida profissional era bem diferente.

E o traço inferior do “T“, que segura/alimenta o superior seria a especialidade. Sim, pois precisamos ter várias e diversas noções no campo profissional, mas precisamos ser especialistas, ou seja, ter um conhecimento profundo, diferenciado e dominar em algo para dar suporte e direcionamento ás habilidades que iremos aprender.
Porque se você não for especialista em algo, será apenas uma pessoa que conhece um pouco de muitas coisas, e não um profissional que além de conhecer muito da sua área também tem noções de muitas outras que poderão facilitar o seu sucesso.

Por mais que o HD do computador tenha sido criado inspirado na memória do ser humano, e que o tal “Algoritmo” que tanto se fala também tenha sido inspirado pelas movimentações que fizemos, o nosso cérebro funciona diferente. Sim, DIFERENTE, pois ele precisa fazer muitas e variadas conexões com lugares, pessoas, experiências diferentes para que realmente possamos aprender.

Então agora sabemos que ser especialista ou apenas generalista não nos levará muito longe. E que nos permitir ter experiências novas, nos recolocar e nos atualizar impactando positivamente, faz toda diferença!

O que você está fazendo para ser um novo profissional e se adaptar a essa realidade?

******

Acesse o perfil da autora Giani Bueno clicando aqui



Deixe uma resposta