O papel da Liderança em Impactar e Gerar Mudanças Evolutivas de Equipes de Alto Desempenho

Resumo

O líder como peça central para formar e manter uma equipe de alto desempenho: é sobre esta temática que o presente trabalho de conclusão de curso trata.

 A liderança tem sido objeto de pesquisas e estudos ao longo dos séculos, sempre com o objetivo de compreender as habilidades e métodos que tornam pessoas em líderes, vencedores, respeitados e seguidos por seus colaboradores.

As organizações de hoje, em todo o mundo, desenvolvem métodos para alcançar a liderança em seu segmento, para isto, pesquisam, contratam consultorias e treinam suas equipes, gestores, com o objetivo de criar líderes.

Equipes de alto desempenho são formadas por colaboradores, que são líderes. A Liderança ocorre em todos os âmbitos da sociedade humana, assim como a formação de grupos, que quando têm objetivos e métodos em comum, tornam-se equipes.

A liderança é aplicada nas organizações, principalmente, quando falamos na gestão de recursos humanos, logo quando colocamos em foco a formação de equipes é preciso ir na origem do entendimento sobre liderança.

 A metodologia utilizada para a realização deste ensaio foi do tipo pesquisa bibliográfica , com base em revisão de literatura sobre os temas: liderança avançada, formação de equipes através da gestão de pessoal, desenvolvimento de equipes de alto desempenho e sua manutenção dentro das organizações.

    Neste presente trabalho buscamos alcançar o objetivo de compreender o papel do líder  no processo de evolução e manutenção das equipes de alto desempenho.

Introdução

Sabemos que o tema liderança já era tratado por Sócrates séculos antes do cristianismo mudar a história para antes e depois de cristo. E foi com os filósofos que aprendemos a questionar para crescer. Uma mente que questiona, e faz este questionamento a si mesmo é mais hábil na progressão, seja em sua vida pessoal ou profissional. Líder é quem sabe servir, é quem sabe fazer funcionar, quem sabe construir a harmonia das relações entre todos, para que então exista o máximo de criação de valores e de coisas. É uma pessoa que sabe ser funcional a todas as partes envolvidas, até que estas partes estejam harmonizadas a produção de uma unidade simples. Liderar, etimologicamente, significa conduzir. Logo não existe liderança no vácuo, é preciso que existam pessoas para serem lideradas. Neste tralho trataremos da liderança como base para a construção de equipes, mas não de equipes tradicionais, mas sim de equipes de alto desempenho.

Liderança é a habilidade de influenciar pessoas para produzirem entusiasticamente visando atingir as metas identificados como sendo para o bem comum. Verificamos que é entendimento geral que liderar é sinônimo de influenciar. É a soma de técnicas, habilidades e conceitos que permitem ao líder motivar seus liderados em prol de um bem comum. No mundo das organizações corporativas encontramos enraizados o líder tradicional, que ocupa o topo da cadeia, e que traz para si, todo o ônus e o bônus da liderança. Mas o que temos a propor neste ensaio é que com base no estudo histórico da liderança, através das teorias clássicas e modernas de gestão, é possível realizar o que as corporações tanto trabalham para desenvolver, líderes em todos os lugares, áreas, segmentos de uma empresa, corporação. Podemos extrapolar, e imaginar que o objetivo das corporações é alcançar o maior desempenho possível no que elas propõem realizar, e é fato que selecionamos para líder os que se destacam em suas áreas, que apresentam melhores resultados, e que trazem em sua bagagem a experiencia de liderar, influenciar seus colaboradores rumo ao sucesso. Então como ter o maior número de líderes em nossas corporações? Através da pesquisa dos textos selecionados, de autores que tratam sobre liderança, motivação, equipes, organizações, gestão de pessoas, e formação de equipes de alto desempenho, apresentaremos uma linha de raciocínio claro que irá nos conduzir na estrada sinuosa da formação de equipes, e indo além, para a formação de equipes de alto desempenho, verificando nas etapas do processo como o é o papel do líder atual na transformação destas equipes tradicionais em equipes de alto desempenho.

1.1 Conceito de Liderança

Todas as organizações, públicas ou privadas precisam dar a verdadeira importância para a liderança em suas fileiras de colaboradores.

Quando pensamos em liderança, as primeiras palavras que surgem em nossas mentes são; Chefe, Patrão, Comandante, poucos ainda remetem ao nome Líder, que como estamos identificando nesta pesquisa. Quando a liderança é preparada, contribui para o resultado positivo das equipes, um líder despreparado pode guiar sua equipe para a derrota, isto é não atingir os objetivos da organização.

1.2 Hoje o papel do líder vai alem do que é culturalmente conhecido como “Chefe”,  ele se torna um modelo, guia, orientador para seus liderados, deixando cada vez maior o abismo entre o chefe e o líder, como a seguir:

 1.3 Apresentamos três tipos de líderes, o já citado neste estudo, que é líder chamado de nato, aquele que nasce com as características que chamamos de dom da liderança, em seguida ela cita o líder que é capacitável, isto é, treinável é aquele que não nasceu com as características tão afloradas, não tem o chamado dom nato, mas tem algumas características que podem ser desenvolvidas com muito esforço e dedicação. E por último o líder formidável, este além de nascer com o dom da liderança, trazendo consigo as características desejáveis a um líder nato, ele além disso, treina, é esforçado, se dedica ao extremo, consegue desenvolver suas habilidades naturais, o líder admirável. . Cada pessoa tem uma maneira de liderar, existem várias formas, cada qual com sua característica.Estilos de Liderança

Teorias de liderança podem ser classificadas em três grupos: teorias de traços de personalidade, teorias sobre estilos de liderança e situacionais.

O quadro 1 apresenta a teoria sobre Estilos de Liderança.

Quadro 1: Estilos de liderança
AutocráticoDemocráticoLiberal (Laissez- Faire)
Apenas o líder fixa as diretrizes, sem qualquer participação do grupo.As diretrizes são debatidas pelo grupo, estimulado e assistido pelo líder.Há liberdade completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder.
  O líder determina as providencias e as técnicas para a execução das tarefas, cada uma pôr vez, na medida em que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo.O próprio grupo esboça as providencias e as técnicas para atingir o alvo, solicitando aconselhamento técnico ao líder quando necessário, passando este a sugerir duas ou mais alternativas para o grupo escolher. As tarefas ganham nova perspectivas com os debates.    A participação do líder no debate apenas material variados ao grupo, esclarecendo que poderia fornecer informações desde que as pedissem.
  O líder determina qual a tarefa que cada um deve executar e qual o seu companheiro de trabalho.A divisão das tarefas fica a critério do próprio grupo e cada membro tem liberdade de escolher os seus companheiros de trabalho.Tanto a divisão das tarefas, como a escolha dos companheiros, fica totalmente a cargo do grupo. Absoluta falta de participação do líder.
  O líder é dominador e é “pessoal” nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro.O líder procura ser um membro normal do grupo, em espírito, sem encarregar-se muito de tarefas. O líder é “objetivo” e limita-se aos “fatos” em suas críticas e elogios.O líder não faz nenhuma tentativa de avaliar ou regular o curso dos acontecimentos. O líder somente faz comentários irregulares sobre as atividades dos membros quando perguntado.
Quadro 1 – Estilos de Liderança

1.4 Virtualmente, qualquer pessoa pode ser um líder num apropriado quadro de circunstâncias. Mas, tal como a teoria dos traços, uma aproximação puramente situacionista depara com dificuldades para explicar as razões de uma liderança eficaz ou ineficaz.

1.5 Teorias da Motivação

Desmotivação pelo trabalho: pela falta de motivação intrínseca, as pessoas se concentram nas reivindicações e expectativas por maiores salários e melhores condições de trabalho como meio de compensar a insatisfação, o descontentamento e a frustração com a tarefa.

O que move e gera a motivação do indivíduo são as satisfações das suas necessidades. Necessidades estas que possuem uma hierarquia, à medida que são satisfeitas as mais baixas o indivíduo busca satisfação da necessidade seguinte.

O Tema Motivação é alvo de estudo há séculos, inicialmente como tema para motivar tropas, até os dias de hoje nas organizações corporativas, passando pelo seio da escola, na educação crianças e jovens.

De acordo com a pirâmide de necessidades , presente na Figura , em sua hierárquica, existem as necessidades básicas, inferiores e as necessidades superiores. As necessidades inferiores da pirâmide, são necessidades mais simples e de satisfação rápida, ao contrário das localizadas no alto da pirâmide. Segundo a teoria da motivação humana, partindo da base, os níveis da hierarquia são:

1.6  Equipe x Grupo de Trabalho

Na Era da Informação, o velho modelo burocrático não tem muita serventia. A organização hierárquica composta por departamentos e cargos está em extinção. Ela se caracteriza pela manutenção do status quo quando o mundo dos negócios exige mudança e inovação das organizações. Estas estão migrando rapidamente para um novo conceito de trabalho, em vez de separar as pessoas em cargos individuais e fragmentados; o segredo agora está em juntar as pessoas em equipes ou células de produção, em grupos integrados de trabalho e atividades conjuntas. O resultado é totalmente diferente e melhor. As equipes são mais do que simples grupos humanos, pois elas têm características ímpares que os grupos não têm.

1.7 Formando Equipes

Um grupo para se tornar uma equipe passa por alguns estágios de desenvolvimento de uma equipe.

O processo básico envolve 5 estágios (Formação, Conflito, Acordo e Desempenho e Dispersão). Uma equipe pode ser formada para um departamento, com início, mas sem previsão

de termino de trabalho, ou para um projeto especifico com início, cronograma, e fim de um projeto com uma entrega programada.

O Estágio de Desenvolvimento das Equipes
                      Características do 1º Estágio: Formação
Visão de futuro
Sentimento de pertencimento
Orgulho por ter sido selecionado para formar a equipe
Empatia inicial, imediata e exploratória
Desconfiança, e até medo em relação ao futuro trabalho
Tentativas de definir as tarefas, tomando decisões sem a experiencia
Criações de regras de como a equipe irá lidar com seus problemas
Decisões sobre quais informações precisam ser coletadas.
Altas e abstratas discussões sobre conceitos ainda em aberto
Impaciência com essas discussões abstratas por alguns membros
Discussões sobre indícios de problemas, ou problemas, não pertinentes à tarefa
Dificuldades em identificar os problemas pertinentes
Reclamações contra a organização e contra os obstáculos à tarefa.

Quadro 2: Características do 1º Estágio: Formação
1.8 A Turbulência apresenta as seguintes características apresentadas no Quadro 3:
1.9 Quadro 3: Características do 2º Estágio: Conflito
            Características do 2º Estágio: Conflito
Resistência à tarefa e às abordagens ao processo de melhoria
Cada indivíduo apresenta sua solução isolada
Fica claro as variações de comportamento em relação ao grupo
Discussão o tempo todo entre membros, mesmo quando concordam com a questão básica
Atitudes defensivas e competitivas
Formação de facções e “escolha de lados”
Contestação sobre as escolas de quem formou a equipe e sua liderança
Estabelecimento de metas irreais
Evidente aplicação da “lei do mais forte”
Desunião, tensão crescente e ciúmes
2.0. Esta fase tem como as características do Quadro 4:
                Características do 3º Estágio: Acordo ou Normatização
Uma nova capacidade de criticar construtivamente
Integração dos membros da equipe em formação
Diminuição da ansiedade, um alívio, já que tudo parece que vai funcionar
Os membros começam a evitar os conflitos, na tentativa de alcançar a harmonia
Compartilham os problemas e discutem sobre a dinâmica da equipe
Formação de um senso de coesão de equipe, um espírito e metas comuns
Estabelecimento e manutenção das regras básicas e fronteiras da equipe (as “normas”), agora com clareza e conhecimento mutuo da capacidade de cada um
Estabelecimento de metas irreais
2.1 As principais características deste estágio, apresentados no Quadro 5, para equipe são:
    Características do 4 º Estágio: Desempenho ou Atuação em Equipe
Percepção dos membros quanto aos processos de trabalho individual e do grupo
Satisfação pelo progresso da equipe
Melhor compreensão dos pontos fortes e fracos de cada um
Auto mudança construtiva
Capacidade de evitar ou lidar com problemas do grupo
Forte apego à equipe
Quadro 5: Características do 4º Estágio: Desempenho ou Atuação em Equipe
    Características do 4 º Estágio: Desempenho ou Atuação em Equipe
Percepção dos membros quanto aos processos de trabalho individual e do grupo
Satisfação pelo progresso da equipe
Melhor compreensão dos pontos fortes e fracos de cada um
Auto mudança construtiva
Capacidade de evitar ou lidar com problemas do grupo
Forte apego à equipe
2.2 Motivando uma Equipe de Trabalho

O Processo de motivação de motivação de Equipes deve ser algo rotineiro no dia a dia do líder. As atuais lideranças chegam a esta função compreendendo motivar é compreender as necessidades dos colaboradores, reconhecendo-os como pessoas, e não somente como recursos, peças de uma engrenagem. Este modelo de Gestão de Recursos, foi e ainda é um obstáculo na motivação das equipes. Devemos hoje trabalhar com o conceito de Gestão de Pessoas.

Quando tratamos o colaborador pela visão de Gestão de Pessoas, e não como Gestão de Recursos, encontramos suas necessidades e o que o motiva, como apresentado na figura 8:


Figura 8: Pessoas recursos X Pessoas Colaboradoras

 As contribuições para a organização, ele é mais que um colaborador é parte ativa do negócio, mesclando-se a própria organização.


Comparativo de Gestão de Pessoal
2.3 Desenvolvendo uma Equipe de Alto Desempenho

Durante o processo de pesquisa deste trabalho traçamos o perfil de liderança, de equipe, de motivação e de gestão de pessoal, para alcançarmos a formação de uma equipe de trabalho, seja ela funcional ou de projeto. Mas nosso ponto alto neste estudo de pesquisa é elaboração de uma equipe de alto desempenho e o papel do líder neste ponto.

Para isto será analisado o que é uma equipe tradicional e equipe de alto desempenho

AspectosEquipes de projeto tradicionaisEquipes de projeto de alto desempenho
Ênfase no aprendizadoO aprendizado é pouco recompensado.O aprendizado é altamente valorizado.
  Concepção do trabalhoAs pessoas têm dificuldade para ver como contribuem para o produto ou serviço final e nunca se envolvem na resolução de problemas.  As pessoas veem uma conexão direta entre o que fazem e o produto ou serviço final. A resolução de problemas é parte do trabalho de todos.
  Papel de gerênciaOs gerentes atribuem tarefas, analisam o desempenho e decidem quais serão os procedimentos de trabalho, sem a contribuição dos funcionários.  Os próprios funcionários distribuem as tarefas, analisam o desempenho e decidem quais serão os procedimentos de trabalho a adotar.
  Estrutura organizacionalExistem muitos níveis de gerenciamento e fronteiras nítidas entre gerência e subordinados.Existem apenas alguns níveis de gerenciamento entre gerência e subordinados. A organização é muito horizontalizada.
  Relacionamento com o clienteAs pessoas que trabalham em uma das etapas de uma operação irão encaram como seus clientes as que trabalham na etapa seguinte.  Todos tem um cliente interno ou externo e buscam constantemente entender e suprir as necessidades do cliente.
  FlexibilidadeA equipe demora a adotar novas tecnologias ou a converter tecnologias existentes para novos propósitos.A equipe explora os progressos tecnológicos e busca encontrar formas inovadoras de utilizar a tecnologia existente.
  Trabalho em equipeAs pessoas olham apenas para si mesmas. Os valores, quando existem, dizem respeito apenas aos lucros.  Valorizam-se o trabalho em equipe, a participação, a inovação e a qualidade tanto quanto os lucros.
  DedicaçãoSó algumas pessoas se sentem pessoalmente responsáveis pelo desempenho da equipe.Todos se sentem pessoalmente responsáveis pelo desempenho geral da equipe.
 Todos recebem as mesmas recompensas financeiras, independemente de seu desempenho.As pessoas são recompensas de acordo com seu desempenho e/ou da equipe.
Remuneração 
  Acesso à informaçãoGerentes e especialistas técnicos retêm informações. O acesso aos sistemas de informação e aos dados é rigidamente controlado.    Gerentes e especialistas técnicos compartilham livremente as informações. Os sistemas de informação permitem que as pessoas compartilhem prontamente as informações.
Equilíbrio sociotécnicoA tecnologia é considerada mais importante do que as pessoas.A tecnologia e as pessoas são tratadas como tendo importância igual na equipe.

Equipes tradicionais X de alto desempenho
2.4  – O Quadro apresenta um modelo de como ficam as responsabilidades e os papeis dentro de uma equipe de alto desempenho em uma organização de Manufatura:
                Papeis e Responsabilidade dentro de uma Equipe de Alto Desempenho no Setor de Manufaturas
Definir horários de trabalho e intervalos
Selecionar e destituir o líder da equipe
Tomar a iniciativa para do reparo de equipamentos e maquinário
Atribuir tarefas especificas dentro de um grupo de trabalho
Treinar novos membros da equipe
Garantir disponibilidade de material de produção e das peças de reposição
Manter registro das horas de trabalho de cada membro
Realizar inspeções de controle de qualidade e compilar dados
Preparar orçamentos de material e mão de obra
Preparar registro diário da quantidade produzida e do volume de estoque em andamento
Recomendar mudanças de engenharia em equipamentos, processos e produtos
Selecionar novos membros para a equipe e descartar antigos
Avaliar membros da equipe para conceder aumento salarial
Paralisar o processo ou a montagem se houver problemas de qualidade
Realizar reuniões semanais da equipe
Papeis de uma equipe de alto desempenho
2.5 Cronograma de Responsabilidades
ResponsabilidadesEquipe agoraEquipe daqui a seis mesesGerência
Distribuir tarefas   x 
Resolver problemas x x
Realizar reuniões de equipe x  
Preencher cronogramas x 
Desenvolver metas da equipex
Reforçar padrões técnicosx
Fornecer informações para avaliação de desempenho  
Analisar e aprovar metas da equipexx
Realizar avaliações de desempenho  x 
Desenvolver Orçamento da Equipex
2.6 Seguindo o modelo de desempenho apresentado na figura abaixo, até alcançar um desempenho excelente.
Figura 10: Desempenho na Gestão de Equipes
2.7 Manutenção de uma Equipe de Alto Desempenho

A estrada para formar uma equipe de alto desempenho é longa, sinuosa e acidentada. É percorrida por um longo tempo, e como levantado na pesquisa deste trabalho é preciso que ocorra a dedicação do líder e da organização, desde a seleção dos colaboradores até o possível desmonte da equipe desenvolvida.

Além das tarefas, atribuições e comportamentos aqui relacionadas nesta pesquisa, é preciso manter a equipe após sua formação, quando se verifica que a mesma está funcionando dentro dos parâmetros estabelecidos pela organização, como alto desempenho, é papel do líder manter a mesma dentro deste parâmetros e para tal existem algumas abordagens motivacionais, que é a de encontrar as necessidades dos colaboradores, como abordado no item motivação do presente trabalho, que passa pela entrega de benefícios, hoje reconhecidos como de mercado, indo além do convencional, e trabalhar o feedback da equipe, dentro de normas estabelecidas com a equipe de alto desempenho, que realiza periodicamente uma autoavaliação, que gera o feedback que irá fazer parte da manutenção e melhoria da equipe.

5. Conclusão

O objetivo deste trabalho foi mapear a estrada da formação das equipes de alto desempenho, e o papel da liderança em todo o processo desta formação, começando pelo indivíduo nas organizações, passando pela formação de grupos, que se tornam equipes e culminam no estágio de excelência das equipes de alto desempenho. Para tanto, foi realizada uma ampla pesquisa bibliográfica sobre a origem, as competências e habilidades da liderança, em motivar pessoas por meio da gestão de pessoas e seus talentos, reconhecendo-os como seres únicos no processo de formação das equipes, que são as unidades formadoras das organizações. Após a análise teórica destes conceitos relativos à liderança e motivação foi possível finalizar o estudo com uma conclusão clara do papel da liderança na formação e manutenção das equipes de alto desempenho nas organizações, sejam elas públicas, privadas ou mistas.

Fica evidenciado no trabalho de pesquisa que o tema é de grande relevância na atualidade para todas as organizações, que tem como objetivo se manter e crescer em um mercado tão competitivo e globalizado, por conseguinte relevante a todo o ser humano, que é quem compõem as organizações por todo o globo. O desenvolvimento de pessoas é o verdadeiro objetivo das lideranças nas organizações, que tem como meta gerar bons resultados, e estes resultados só podem ser alcançados se compreendermos como encontrar e preparar os líderes que formaram as equipes. Estas são a unidade básica de funcionamento de todo o tipo de organização, publicas, privadas, corporativas ou não, tem seu trabalho realizado pelas equipes, e quanto maior for seu grau de comprometimento, maior serão os resultados que estes lideres entregaram. E para alcançar o nível de equipes de alto desempenho, é preciso trilhar uma longa estrada, que começa na compreensão de quem são os colaboradores que formaram esta equipe, e quais são suas necessidades, estas que irão move-los em direção dos estágios aqui pesquisados, que formaram a equipe de alto desempenho.Ao tratarmos de alto desempenho precisamos lembrar que para alcançar este nível de equipe, é preciso compreender as necessidades que movem, isto é, motivam, os colaboradores desta equipe. Para tal analisamos o princípio histórico da liderança, suas correntes, modelos e aplicações, cruzando com as teorias de administração e motivação que tem maior aceitação entre os líderes do mercado atual.

Após o estudo sobre a liderança e a compreensão das teorias motivacionais foi possível entrar na formação de equipes, compreendemos que a formação de equipes precede a formação de uma equipe de alto desempenho, não é possível iniciar um processo de formação de equipe direto no estágio de alto desempenho. Isto não é possível por que este estágio não se alcança somente pela soma de conhecimentos e habilidades técnicas, é preciso engajamento, experiencia e compreensão de si e dos colaboradores da equipe.

Para alcançar o estágio de equipe de alto desempenho é preciso que a equipe tenha claro seus objetivos a alcançar, que passe pelos estágios de formação, conflito, acordo e desempenho.

Artigo escritos pelos alunos da Primeira Turma da Escalada, Augusto Ceregatto e Vicky



Deixe uma resposta