6 Paradoxos de Liderança para a Era Pós-Pandemia

Artigo original em inglês publicado pela Harvard Business Review. Para acessá-lo na íntegra, clique aqui

Escrito por Paul Leinwand, Mahadeva Matt Mani, e Blair Sheppard

A pandemia acelerou uma tendência que vem se desenvolvendo ao longo da última década. À medida que o mundo se tornou mais digital e complexo, o leque de decisões que os líderes precisam tomar se ampliou, abrangendo desde o pensamento estratégico em geral, passando por uma execução cuidadosa, até o avanço de roteiros tecnológicos e o aprimoramento e engajamento dos funcionários. Os critérios de tomada de decisão também se expandiram, concentrando-se cada vez mais nas considerações ESG, além das expectativas de lucro estreitamente definidas. O ano passado foi particularmente intenso, empurrando os líderes a tomar decisões para as quais eles não tinham experiência anterior – e foi preciso fazê-lo com rapidez.

Para ter sucesso nesta nova era de criação de valor, os líderes precisam de novas habilidades e capacidades. Nosso aprofundada pesquisa de mais de uma dúzia de empresas que se transformaram e se posicionaram para o sucesso neste novo mundo — incluindo a Microsoft, a Cleveland Clinic e a Philips — mostram que os líderes dessas empresas procuraram ser proficientes em um amplo conjunto de características, em vez de confiar unicamente em suas áreas de pontos fortes. Eles aprenderam a trabalhar em conjunto com outras pessoas que têm origens diferentes e diferentes formas de pensar, e enfatizaram colaborar juntos para liderar seus negócios, apesar de todas as suas diferenças. (Se você estiver interessado em participar de um pesquisa sobre liderança, você pode encontrar mais detalhes no final deste artigo.)

Abaixo você encontra as características que os líderes que entrevistamos consideraram mais importantes nesta nova era e que se alinham bem com os seis paradoxos de liderança descritos no recente livro de Blair Sheppard, Dez Anos à Meia-Noite.

Executor Estratégico

Os líderes que querem ter sucesso neste ambiente de negócios complexo e rápido precisam ter clareza sobre como será o novo mundo e qual será o lugar da sua empresa naquele mundo. Isso requer líderes altamente estratégicos, visionários que podem se afastar do dia a dia para ver para onde o mundo está indo, entender como o valor pode ser criado no futuro de maneiras diferentes das atuais e apostar uma posição poderosa para a empresa.

Ser um bom estrategista, no entanto, não é suficiente. Os líderes precisam ser igualmente qualificados na execução. Eles precisam possuir a transformação da empresa necessária para alcançar o futuro. Eles precisam ser capazes de traduzir a estratégia em etapas executivas específicas e ver essa execução até o fim. Eles precisam ser capazes de tomar decisões operacionais rápidas que ajudem a entregar o caminho para o futuro.

De muitas maneiras, o modelo digital de criação de valor pode exigir habilidades de execução ainda mais fortes do que no passado, já que há muito a fazer para empurrar os limites do que é possível.

Herói Humilde

A era digital pede líderes heróis, pessoas que estão dispostas a tomar decisões ousadas (como ousar em certas posições comerciais ou apostar em novas) em momentos de incerteza.

Ao mesmo tempo, os líderes precisam ter a humildade de reconhecer o que não sabem e trazer a bordo pessoas com habilidades, origens e capacidades potencialmente muito diferentes. Eles precisam estar dispostos a aprender com outras pessoas que podem ter menos posse de liderança, mas insights mais relevantes. Eles precisam ser altamente inclusivos e grandes ouvintes para entender não apenas as novas tecnologias, mas também novas maneiras de fazer coisas que são diferentes de como eles fizeram isso antes.

Humanista com experiência em tecnologia

Embora no passado os líderes pudessem delegar os desafios de tecnologia da empresa a seus diretores de informações ou diretores digitais, essa abordagem não funcionará mais. Com a tecnologia sendo um facilitador essencial para quase tudo que uma empresa faz – inovação, gerenciamento de produtos, operações, vendas, atendimento ao cliente, finanças ou qualquer outra área – todo líder precisa entender o que a tecnologia pode fazer pela empresa e como.

Ao mesmo tempo, eles também precisam entender e se preocupar com as pessoas. Eles precisam entender como a tecnologia afeta a vida das pessoas e precisam ajudar as pessoas a se adaptar e adotar as muitas mudanças que a tecnologia irá impor. Isso significa envolver as pessoas com um enorme grau de empatia e autenticidade — ajudando-as a abraçar as mudanças e co-possuir a transformação.

Inovador Tradicional

O propósito e os valores da empresa provavelmente nunca foram tão importantes quanto hoje em um mundo de mudanças constantes e múltiplas interrupções.

Em meio à incerteza, ter clareza dos propósito e valores ajuda a orientar as organizações através de seu caminho para a criação de valor e relevância. Enquanto os líderes reimaginam o lugar de sua empresa no mundo, eles também precisam ser claros e fundamentados sobre quem são como uma empresa. Eles precisam ser claros sobre a razão de ser da organização — seu propósito e valores — para orientar como eles criarão valor de forma exclusiva de uma forma que envolva os outros em seus ecossistemas e seja relevante no futuro.

Ao mesmo tempo, os líderes precisam inovar e experimentar coisas novas – mais rápido do que em qualquer momento anterior. Eles precisam ter a coragem de falhar e permitir que outros falhem também. Toda essa experimentação e inovação, no entanto, não deve ser desvinculada – deve acontecer dentro das grades de proteção consistentes com o propósito da empresa.

Político de Alta Integridade

Em um mundo ecossistêmico onde empresas, instituições e indivíduos devem colaborar para criar valor, poder acumular apoio, negociar, formar coalizões e parcerias, e superar a resistência é uma capacidade essencial de liderança.

Os líderes precisam fazer compromissos, ser flexíveis para ajustar sua abordagem e dar um passo atrás para poder avançar dois passos em frente. Esta forma de operar, no entanto, só pode ser bem sucedida se os líderes estabelecerem confiança e integridade como a base de todas as suas ações. A colaboração eficaz dentro dos ecossistemas só pode acontecer quando as partes envolvidas podem confiar umas nas outras. Os clientes estão dispostos a compartilhar insights privilegiados e participar de ecossistemas somente quando podem confiar em como seus dados são usados e como são tratados.

E a integridade será fundamental para gerenciar o crescente escrutínio regulamentar que muitas empresas vão ver. Em uma economia orientada por dados, integridade e confiança são condições fundamentais essenciais. Estes são valores que não podem vir de um computador – eles exigem que os líderes humanos façam escolhas deliberadas medidas por suas ações e palavras.

Localista de mentalidade global

A tecnologia apagou muitos limites e distâncias – agora é muito mais fácil alcançar clientes do outro lado do globo e colaborar com pessoas distantes.

Quase à força, as empresas que operam na era digital precisam pensar globalmente – mesmo que seja apenas para obter acesso a ideias e talentos para atender às necessidades locais. Isso requer líderes que possam pensar e se envolver globalmente, que se exponham a novas formas de pensar e trabalhem com pessoas de todas as partes.

Ao mesmo tempo, os líderes na era digital também precisam estar profundamente cientes e atentos à situação e às preferências de clientes individuais e às comunidades locais e aos ecossistemas nos quais operam. Clientes, parceiros e instituições esperam que as empresas atendam às suas necessidades específicas, e os líderes certamente terão que adotar uma mentalidade localmente consciente.

Embora esta lista não seja exaustiva, acreditamos que ela seja um bom guia inicial para lidar com a era que está por vir. A era digital e a magnitude da transformação necessária exige que os líderes construam seus pontos fortes e expandam sua abertura para gerenciar o mundo complexo em que vivemos. Acreditamos que os líderes que têm humildade, coragem e compromisso para se reinventar irão se tornar o campeões da era digital.

***

Abaixo você encontra uma pesquisa produzida pelos autores, fique a vontade para respondê-la se assim desejar.

Para ajudar a pintar uma imagem melhor sobre os comportamentos de liderança e capacidades que serão importantes no futuro, convidamos você a participar de nossa pesquisa de 5 minutos que busca suas opiniões sobre o que é importante para você e sua empresa. Nós compartilharemos as descobertas da pesquisa com você se você optar por fornecer seu endereço de e-mail, que prometemos usar exclusivamente para esse fim. Acessar a pesquisa aqui.

Artigo original em inglês publicado pela Harvard Business Review. Para acessá-lo na íntegra, clique aqui

Escrito por Paul Leinwand, Mahadeva Matt Mani, e Blair Sheppard



Deixe uma resposta